quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Uma sede mais imensa que o oceano

“O desejo de Deus está inscrito no coração do homem” e manifesta-se como uma sede de plenitude, de vida, de sentido para a existência. Esse desejo medonho, irrefreável, inextinguível, presente em cada coração, crente ou descrente, não pode escamoteado, não pode ser sufocado. Ele sempre se manifestará de algum modo... Para utilizar uma linguagem kantiana: trata-se de uma realidade transcendental em nós.

Vivemos procurando uma realização em coisas, situações, pessoas. E tudo nos grita: “É mais além, é mais adiante!” Nada nem ninguém nos preenche totalmente; nada nos satisfaz de modo pleno, definitivo. O repouso do desejo saciado não se encontra neste mundo, não pode ser achado nas coisas, nas pessoas, nas situações, nas realizações...

Ó coração humano, que não se contenta com nada menos que o Infinito!

Por que somos assim? Porque “Deus não cessa de atrair o homem a Si, e somente em Deus o homem há de encontrar a verdade e a felicidade que não cessa de procurar. O homem só vive plenamente segundo a verdade se reconhecer livremente (...) e se entregar ao seu Criador!” Sem se entregar efetivamente a Deus, o pobre filho de Adão será sempre atormentado pela falta do Sentido último que ele tanto procura. Muitas vezes disfarçará sua frustração, seu absurdo, fazendo de verdades parciais da vida a própria Verdade. Mas, é uma ilusão. No fundo, sabe que é uma mentira, sustentada apenas para fugir do absurdo de uma existência sem sentido.

Deus nunca será uma realidade opcional para o homem: será sempre seu chão, seu horizonte, mesmo quando este tenta negá-Lo, amaldiçoá-Lo e gritar feito adolescente imaturo, que não precisa Dele! Deus será sempre o céu para o homem que a Ele se abra e o inferno para o que a Ele se feche visceralmente...

“Esta união íntima e vital com Deus pode ser esquecida, ignorada e até rejeitada explicitamente”. Ainda assim, “se o homem pode esquecer ou rejeitar a Deus, este, de Sua parte, não cessa de chamar todo homem e procurá-lo, para que viva e encontre a felicidade”, isto é, o verdadeiro sentido da existência. E esse chamado silencioso, discreto, profundo, penetrante, cortante, que não deixa em paz os filho dos homens! Chamado que é nosso tormento; chamado que é nossa maior dignidade!

A questão é que buscar o Sentido, o Fundamento, o Donde e o Aonde de tudo e de nossa existência “exige do homem todo o esforço de sua inteligência, a retidão de sua vontade, um coração reto e também o testemunho dos outros, que o ensinam a procurar a Deus”. A procura de Deus é pessoal, mas nunca individual: a fé dos outros, a convivência com outros que creem sustentam e confirmam a minha fé pessoal! Também não se busca a Deus seguindo somente a razão: aí entram o afeto, a sensibilidade, o coração, pois Deus Se nos mostra batendo docemente à nossa porta e invadindo respeitosamente todos os espaços, capacidades e experiências de nossa existência. O encontro com o Santo, o Senhor, o Amigo, o Amante não se dá ao fim de um frio e presunçoso raciocínio, mas durante e ao fim de uma busca que envolve todos os níveis e setores da existência... Isto porque Ele é Tudo para nós e somente Nele encontramos o verdadeiro horizonte da nossa vida neste mundo.


Simples assim, trágico assim, apaixonante assim!


2 comentários:

  1. lindoooo cada paragrafo,virgula,ponto me preenchem de uma força ,me impulsionando a crer na máxima do próprio Deus humano ."Coragem minha filha , eu venci o mundo " obrigada por essas sabias palavras

    ResponderExcluir
  2. Dom Henrique...

    E como é difícil o caminho de reconhecer essa sede de Deus...
    Quando nos sentimos longe do amor (de Deus), vemos nosso nada, isso deixa nossa alma inquieta mesmo, sedenta...

    Sempre preenchemos esse nosso nada, com coisas e pessoas ao redor, outorgando a elas, a necessidade interior do Divino...
    Sim, demoramos de admitir a necessidade da suplica, de reconhecermos que somos totalmente dependentes e tudo nos vem do Senhor, Ele é quem dá a vitória e a derrota, que faz o rico e faz o pobre, que fere e cura a ferida, que faz morrer e faz viver!

    Deus é a sede... e Deus também é a água...
    O Alfa e o Omega (sem sombra de dúvidas)

    A Paz esteja contigo.
    =)

    ResponderExcluir

Caro Irmão, serão aceitos comentários que não sejam ofensivos nem desrespeitosos.