quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Por uma existência verdadeira

Entregue ao pecado, o homem perde a sabedoria, isto é, a capacidade de ver na perspectiva de Deus. Assim, deixa de ver a essência das coisas, da criação, e o sentido último dos acontecimentos e vicissitudes da vida.

Vivendo no pecado, de modo carnal, a criação e as coisas já não são, para alguém assim, lugar de encontro e comunhão com Deus, mas âmbito de tentação, de escravidão e de alienação.

Só uma existência aberta para Deus é realmente plena, livre, límpida nas relações consigo mesma, com os demais e com a criação toda.
Foi para esta liberdade que Cristo, Deus feito homem, nos libertou!





Um comentário:

  1. A verdadeira existência?
    Fazer, ser, estar para a honra de Deus.

    Mas puxa Dom Henrique, como é difícil, mas como é brutalmente difícil mesmo, abrir os olhos do coração...
    Sim, para vermos o Invisível.
    As vezes penso que Deus faz uso da escuridão, das trevas da angústia e do desespero de reconhecermos pecadores, destituídos de sabedoria, e tudo o mais... para tropeçarmos de fato na Luz que só há e vem Dele...
    Como é difícil e trabalhoso enfrentar com serenidade à tempestade de Existir...
    A gente cai do sono, antes infantis de tudo, como quem cresce, não é?

    A Paz
    =)

    ResponderExcluir

Caro Irmão, serão aceitos comentários que não sejam ofensivos nem desrespeitosos.