sábado, 23 de novembro de 2013

Ele, o Princípio! Ele, também o Fim! Ele sempre! A Ele a glória!

Chegamos hoje ao fim do ano litúrgico de 2013, último Domingo do ano da Igreja. Nele proclamamos o Senhor Jesus como Rei do Universo. O Apocalipse afirma: “Jesus Cristo é a Testemunha fiel, o primeiro a ressuscitar dentre os mortos, o soberano dos reis da terra”. Aqui está tudo! A afirmação é forte, bela, confortadora!
Sendo a “Testemunha fiel” Jesus é o Sim do Pai à humanidade, é o cumprimento de todas as Suas promessas, que o Antigo Testamento anunciou e esperou. Ele é o cumprimento também de todos os sonhos do coração humano. Ele é a realização, a Palavra definitiva do Pai para nós, Palavra é de perdão, paz e salvação.
Ele é o “primeiro a ressuscitar dos mortos”, o início de uma nova humanidade, que vence a morte, que vence todo pecado, tudo aquilo que inferniza a vida humana e nos afasta de Deus. Ele é causa e modelo de nossa ressurreição: ressuscitaremos para Ele, o Ressuscitado! Ele é cabeça, início e princípio de uma humanidade nova e liberta do pecado.
Por isso Ele é “o Soberano dos reis da terra”: toda autoridade Lhe foi concedida e todo poder somente tem sentido se está a serviço de Sua autoridade, que é autoridade de vida, de paz, de graça, de justiça e de verdade!
Celebrar Cristo como Rei do Universo é proclamar que o mundo, que a história não caminham como uma nau sem rumo, não marcham para um destino cego nem rumam ao sabor de um acaso tirano e malvado. Tudo está nas mãos Daquele que é o nosso Salvador. Por mais que haja na nossa vida e na história humana, na criação e no nosso íntimo tantos sinais de escuridão, tantos aparentes absurdos, nunca esqueçamos: Ele tem tudo nas Suas mãos benditas! Podemos dizer: “Senhor, Tua sabedoria é maravilhosa! Senhor, bendito sejas Tu, que guardas os segredos e os mistérios!”
Portanto, os cristãos, não temos medo da história, das dificuldades, das lutas. Nossa vida e a do mundo caminha para Cristo e é iluminada pela Sua luz. Aquele que é o Alfa, o Princípio de tudo, é também o Ômega, o Fim, a Finalidade de todas as coisas! Por isso mesmo, celebrar o Cristo como Rei do Universo é um compromisso de estabelecer na terra os valores do Seu Reino: reino de verdade e de vida, reino de santidade e de graça, reino de justiça, de amor e de paz.

Ele vem... E nos espera, como Rei, no futuro que pertence a Ele, mas que preparamos e plantamos no presente!
Ele vem: “O Alfa e o Ômega, Aquele que é, que era e que vem, o Todo-Poderoso!” Eis a certeza que desde o princípio encanta e dá força aos cristãos: Ele vem! Não é uma lenda, não uma consolação boba, para enganar e distrair! Ele vem: para consumar todas as coisas, para tudo levar à Plenitude, para nos encher da Plenitude da Vida divina, para recapitular e dar o veredicto final sobre todas as nossas histórias e sobre toda a História! Ele vem! Ele virá como Juiz para julgar os vivos e os mortos!
Mas, que ninguém pense saber o Dia ou modo! Porque o que é e que era (nós já O conhecemos) é também não o que será, mas o que vem! Que significa isto? Que o modo como Ele Se manifestará, o modo como Se dará a nós no Definitivo que esperamos, não pode ser simplesmente deduzido daquilo que já sabemos e experimentamos Dele. Explicando melhor: Não posso dizer assim: "Jesus é o que era, o que é e, porque já o conheço, imagino o que Ele será! Nada disso! Ele é surpresa, é estupefação, é novidade perene! Ele é O-Que-Era (o Senhor do nosso passado, que já conhecemos), Ele é O-Que-É (Aquele que preenche o nosso presente e nos interpela constantemente para que Lhe digamos uma resposta nas situações da nossa vida), Ele é O-Que-Vem (como novidade, como surpresa, pois vem do Alto, vem do Pai, vem da Glória como Homem totalmente transfigurado em Glória, Senhor ressuscitado, Senhor do universo e da história).
Eis o nosso Rei: Alfa e Ômega de tudo, Princípio e Fim de tudo, Origem e Destino da nossa vida e da  existência de tudo!
- Senhor Jesus, surpreendente Jesus, bendito Jesus, chão da minha vida, sentido da minha existência, porto dos meus dias! Senhor Jesus, Plenitude de tudo! Senhor Jesus, Filho de Deus, pleno do Espírito, tem piedade de mim pecador!  Senhor Jesus, lembra-Te de mim, quando vieres com Teu Reino! Senhor Jesus, tem piedade de mim e do mundo inteiro!


Um comentário:

  1. "Não posso dizer assim: "Jesus é o que era, o que é e, porque já o conheço, imagino o que Ele será! Nada disso! Ele é surpresa, é estupefação, é novidade perene!"

    Dom Henrique, Dom Henrique...
    Tu tocastes nessas esplendorosas linhas, no ponto que considero o mais agradável, o mais delicioso, o mais arrebatador: Jesus não é chatice, tédio, um sistema programado com hora, data e lugar, e modo, Ele É. Simplesmente É.
    Quanto mais O conhecemos, mais vemos o tanto maior do que ignoramos...
    Eis a chave do caminho: a surpresa.

    E pronto, chegamos hoje ao fim do ano litúrgico de 2013: estamos em êxtase e arrebatamento cardíaco em Amá-lo, com o encanto (sempre) de primeira vez.

    A Paz de Cristo-Rei, meu caro
    =)

    ResponderExcluir

Caro Irmão, serão aceitos comentários que não sejam ofensivos nem desrespeitosos.