sábado, 23 de novembro de 2013

A Vida, o Bem, o Gozo que esperamos

Caro Amigo,
Veja que bela exposição sobre algo do Céu que esperamos. É de São Tomás de Aquino, no longínquo século XIII. Cuidado! A linguagem é simbólica, para tentar falar do que não se pode imaginar...

"Com muita propriedade se põe a consumação de todos os nossos desejos, a vida eterna, no final do Símbolo dado aos fiéis, dizendo: 'Na vida eterna. Amém'.
Em primeiro lugar, a vida eterna une-nos a Deus. Pois Deus mesmo é o prêmio e a consumação de nossos esforços todos: Eu sou teu protetor e tua imensa recompensa (Gn 15,1). Esta união consiste na visão perfeita: Vemos agora como por espelho, em enigma; depois, face a face (1Cor 13,12).
Comporta ainda o máximo louvor, segundo o Profeta: Gozo e alegria nela haverá, ação de graças e voz de louvor (Is 51,3).
E também a perfeita satisfação do desejo, porque lá cada bem-aventurado terá muito além do desejado e esperado. A razão está em que, nesta vida, ninguém pode contentar perfeitamente seu desejo, e criatura alguma sacia o anseio do homem; só Deus o sacia e o excede infinitamente. Por isto, o ser humano não descansa senão em Deus. Santo Agostinho disse: “Tu, Senhor, nos fizeste para ti e inquieto está nosso coração enquanto não repousa em ti”.
Já que, na pátria, os santos possuirão a Deus perfeitamente, é evidente que seu desejo será saciado e ainda a glória o excederá. Assim diz o Senhor: Entra no gozo de teu Senhor (Mt 25,21). Agostinho diz por sua vez: “O gozo inteiro não entrará nos que se alegram, mas os que se alegram entrarão inteiros nesse gozo. Sereis saciados quando aparecer tua glória”; e outra vez: “Quem cumula de bens teu desejo”.
Quanto há de delicioso, tudo ali está com superabundância. Se procuramos delícias, lá haverá o máximo e perfeitíssimo prazer, porque brotando do sumo bem, de Deus: Delícias a tua destra para sempre (Sl 15,11).
Consiste ainda na suave companhia de todos os santos; sociedade agradável a mais não poder, porque cada um terá, em companhia de todos os bem-aventurados, todos os bens. Um amará o outro como a si mesmo, então se alegrará com o bem do outro como se fosse próprio. O que terá por resultado que crescerá a alegria e o gáudio de um, na medida do gáudio de todos".

Então! Que o Senhor nos conduza a todos à Vida Eterna! Amém.


Um comentário:

  1. "Vemos agora como por espelho, em enigma; depois, face a face (1Cor 13,12)."
    Deus sabe o que faz...
    Mesmo que na nossa imensa ignorância, houvesse uma pitada pequena, de pureza no nosso olhar, deturparíamos esse face a face, devido nossa natureza mundana demais... por isso é tão importante esse esvaziar-se...
    É como limpar uma garrafa suja de lama que impede da luz brilhar/refletir/transparecer no cristal de que é feita...

    Catequese estupenda meu Caro.
    Minhas manhãs andam muito bem acompanhada: Jesus.

    Do coração: Obrigada.
    A Paz.
    =)

    ResponderExcluir

Caro Irmão, serão aceitos comentários que não sejam ofensivos nem desrespeitosos.