quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Quando a Palavra se faz confusão!

Só para que compreenda bem, meu Leitor: Quando alguém aparecer a você argumentando contra algum ponto da fé da Igreja com esta expressão "isto não é bíblico" ou "onde está na Bíblia?", já esteja certo: este tipo de raciocínio é viciado pelo erro interpretativo (= hemenêutico, se diz) protestante! A própria pergunta, o próprio modo de argumentar já está errado, é míope e foge à fé dos cristãos!

Onde está o erro, a ilusão, a armadilha? Ei-la: todo texto, sem exceção alguma - inclusive os textos da Escritura Sagrada - é sempre interpretado a partir de uma determinada visão. Qual visão? A visão de quem o lê, de quem o interpreta. Essa visão pode ser chamada "tradição", isto é, toda aquela mentalidade, cultura, sensibilidade, nas quais o leitor lê e interpreta o texto...

Ora, no caso da Escritura, só há duas possibilidades:

(1) Lê-la na Tradição da Igreja, que é a Tradição Apostólica e orientada pelo Santo Espírito, como Cristo garantiu no Evangelho e os Apóstolos recomendaram e testemunharam.

(2) Lê-la com as tradições humanas, dos vários fundadores de denominações cristãs, que deformaram e parcializaram a Escritura, exagerando ou negando, sempre desequilibrando algum aspecto dela, impondo-lhes sua própria tradição humana.

Dois exemplos disso:

1. Na Escritura nunca se ensinou ou afirmou o princípio protestante da "sola Scriptura" (só a Bíblia é norma de fé). Isto é uma tradição humana criada erradamente por Lutero. Então, os católicos estejam atentos para não engolirem esse princípio, que não é bíblico nem pertence à reta Tradição da Igreja. Nunca, em 1500 anos de cristianismo, foi ensinado isto! Foi invenção dos reformadores protestantes! E o resultado foi uma catástrofe!

2. Eis a catástrofe: cada fundador de denominação, inventa sua tradição humana de interpretação e a considera a única interpretação literal da Escritura! E, na verdade, nenhuma dessas tradições tem autoridade alguma, pois se separam da verdadeira Tradição Apostólica, a única na qual a Escritura pode ser retamente interpretada, pois transmitida ininterruptamente pela Igreja com a assistência do Espírito Santo.

Releia bem o que escrevi e compreenda, para não cair na armadilha argumentativa dos enganados e enganadores biblicistas ou bibliomonistas que, erradamente, reduzem o cristianismo à Bíblia!


Escrevo estas coisas para esclarecer os filhos da Igreja, meus irmãos, aos quais devo o serviço da pregação da nossa santa fé católica.





Um comentário:

  1. Quem foi mesmo que disse:
    "A Bíblia foi escrita por católicos, para católicos"
    ?!?

    Nada mais verdadeiro.

    A Paz meu caro Dom Henrique
    =)

    ResponderExcluir

Caro Irmão, serão aceitos comentários que não sejam ofensivos nem desrespeitosos.