sexta-feira, 14 de março de 2014

Retiro quaresmal – Uma misericórdia que desconhece fronteiras e limites

VIII Dia da Quaresma – VII de penitência

Vai atrasada, esta meditação. Consequência da vida um Bispo que se mete a evangelizar pelo mundo virtual quando seu tempo no mundo real é cheio de afazeres... Mas, teimarei, ainda assim. Continuarei teimando! Vai aqui a meditação para quarta-feira passada. Que fazer? Melhor tarde que nunca!

A Palavra de Deus deste hoje nos mostra o Profeta Jonas às voltas com os habitantes de Nínive (cf. Jn 3,1-10). O Senhor lhe ordena: “Levanta-te e põe-te a caminho da grande cidade de Nínive e anuncia-lhe a mensagem que Eu te vou confiar”. Impressionante que o Senhor tenha algo a dizer a Nínive, capital dos assírios! Esse povo, nas Escrituras, é símbolo de impiedade, violência, rapina e selvageria! Povo cruel, os assírios, povo que vivia do saque, da guerra, da conquista! Como o Eterno poderia enviar um israelita a um povo assim?

Mas, tem algo ainda mais surpreendente: o Senhor deseja salvar os ninivitas: “Ainda quarenta dias e Nínive será destruída!” O Senhor Se preocupa com esses cruéis! No Seu coração há espaço para esses pagãos, há amor para esses perversos! O Senhor lhes dirige uma palavra de ameaça para despertar-lhes a consciência, para corrigi-los, para salvá-los!

Ah, Senhor! Tu és Bom! Tu és compaixão e misericórdia, ternura e piedade! “O mundo inteiro, diante de Ti,
É como um pequenino peso na balança,
Como uma gota do orvalho da manhã que cai sobre a terra.
Entretanto, de todos tens compaixão porque tudo podes,
E fechas os olhos aos pecados dos mortais,
Para que se arrependam.
Sim, amas tudo o que existe
E não desprezas nada do que fizeste;
Porque, se odiasses alguma coisa, não a terias criado.
Da mesma forma, como poderia alguma coisa subsistir,
Se não a tivesses querido?
Ou como poderia ser mantida na existência,
Se por Ti não tivesses sido chamada?
A todos, porém, tratas com bondade,
Porque tudo é Teu, Senhor, Amigo da vida!” (Sb 11,22-26).

O santo tempo da Quaresma nos convida a abrir o coração à medida do Coração de Deus! Ter compaixão, ter misericórdia, ir ao encontro daqueles de quem nos afastamos ou afastamos de nós!
Seu irmão pecou? Seu irmão escandalizou? Seu irmão foi-lhe ingrato?
Perdoe por amor ao Senhor que a todos perdoa,
Aproxime-se dele, por amor ao Senhor que de todos Se aproxima!

Seu irmão encontra-se no erro, na treva?
Com paciência, com humildade, com paciente compaixão,
Procure corrigi-lo, alertá-lo, trazê-lo de volta, como o Senhor que de todos cuida!

É importante notar também que a misericórdia do Senhor não é tola, não é boazinha!
Nínive deve se converter!
Não há salvação a preço baixo! Não se esconde a verdade! Não se mascara os preceitos do Senhor!
Conversão!
Conversão!
Conversão!

Sem conversão, eu e você morreremos, seremos destruídos, pois viveremos distantes Daquele para Quem fomos criados e em Quem temos a Vida!
Não adianta o mundo nos iludir, gritando: Não é pecado!
O Senhor nos diz: É pecado!
Não adianta os sabichões soberbos quererem nos justificar, raciocinando: Não é pecado!
O Senhor insiste: É pecado!
Não adianta a nossa consciência laxa, envolvida na moita das trevas, nos cochichar, tentando nos aliviar: Não é pecado!
O Senhor teima, severo: É pecado!

Só o Senhor justifica! Só o Santo perdoa! Só o Altíssimo absolve!
E o passo para isto é o reconhecimento do pecado! É pecado!
E a humildade de pedir perdão! Do pecado!
E o sincero desejo de mudar de vida! De romper com o pecado!

A você, a mim, caro Irmão, compete a misericórdia invencível, incansável para com os demais
E o severo exame da nossa própria consciência!
Nunca se cansar de tentar salvar o irmão!
Nunca descansar no próprio pecado! Nunca justificá-lo!
Só o Senhor o justifica, quando o reconhecemos e dele nos arrependemos!

E os ninivitas? Que surpresa!
Malditos perversos, sem conversão!
Malditos cruéis sem conserto!
E, no entanto, que surpresa:
Se convertem, fazem penitência, decidem mudar de vida!
Escutam a voz do profeta do Deus de Israel, Deus de um outro povo!

Que lição para nós!
A disponibilidade de escutar a Palavra de Deus desses ninivitas é maior que a nossa,
A atenção aos enviados de Deus desses pagãos é maior que a nossa,
A compunção desses cruéis infiéis é maior que a nossa!

Estamos levando a sério a exortação à penitência que o Senhor nos faz neste Quaresma?
Que atitudes, que obras concretas estamos realizando para exprimir nossa penitência e nossa conversão!

“Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir a ira que está para vir?” (Mt 3,7).





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro Irmão, serão aceitos comentários que não sejam ofensivos nem desrespeitosos.