segunda-feira, 10 de março de 2014

Retiro Quaresmal - O Senhor é Santo! Sede santos!

VI dia da Quaresma – V dia de penitência

Surpreendente, a Palavra do Senhor que a Igreja hoje nos faz ouvir como leitura da Missa (cf. Lv 19,1-18).

Primeiro, a exortação geral, basilar: “Fala a toda a Comunidade dos filhos de Israel, e dize-lhes: Sede santos, porque Eu, o Senhor vosso Deus, sou Santo!”
Observe, meu Irmão: trata-se de um preceito dado a Israel, o povo de Deus; somente a Israel. É Israel o povo amado, o povo escolhido, o povo da Aliança sagrada.
Hoje, este povo somos nós, batizados em Cristo, membros do novo Povo de Deus, que é a Igreja, Israel do novo Testamento. Pois bem, a palavra dirigida solenemente a Israel é plenamente válida para a Igreja, Povo Santo de Deus!

O que diz o Senhor?
Primeiro: “Eu sou Santo!”
“Santo”, nas Escrituras, significa “separado”, o que “totalmente diferente”, “totalmente outro”. Assim, Deus é Santo e, porque Santo, totalmente reto, totalmente alheio a toda marca de fragilidade, iniquidade, fraqueza no Seu Ser ou no Seu agir. Ele é totalmente diverso de tudo quanto possamos imaginar; Sua ação nos ultrapassa, Suas obras estão muito para além da nossa compreensão, Seu Ser é envolto na Glória do Mistério, do Silêncio, de uma treva luminosa e de uma luz tenebrosa! Ele é Santo, Santo, Santo! Ele é grande demais, sábio demais, demais para além de tudo! Numa palavra – e não há outra melhor: Ele é Santo!

Segundo: “Sede santos!”
Se santo é tudo quanto acima foi explicado, é surpreendente a ordem do Altíssimo! Pode, por acaso, o homem, pó que o vento leva, ser santo? Pode aquele que já foi concebido no pecado (cf. Sl 51/50,7) ser “outro”, diverso, separado em relação ao mundo e suas mil contradições? O homem é carne, é erva, é pó que o vento leva (cf. Is 40)... E o Eterno ordena ao Seu povo: “Sede santos!” E esta ordem vale para mim e para você, meu Irmão...

Terceiro: “Porque Eu, o Senhor vosso Deus, sou Santo!”
Aí está a raiz da nossa santidade: a santidade de Deus! Porque Ele é Santo e Ele escolheu Israel e nele infundiu a Sua graça, Israel pode participar da santidade de Deus, pode recebê-la, pode ser santo da santidade do Santo!
Isto mesmo vale para nós, membros da Igreja, Israel de Deus: em Cristo, nosso Senhor, habita toda a santidade, na Sua humanidade santíssima, plena de Espírito Santo, está toda a santidade de Deus; melhor ainda: Ele mesmo, na Sua humanidade, é o Deus Santo de Israel! É unindo-nos a Ele pela escuta da Sua palavra e o mergulho nos Seus santos sacramentos que recebemos a Sua santidade que, em última análise, é o próprio Espírito Santo e Santificador!

Este Espírito em nós, porque Espírito de Cristo, dá-nos os sentimentos de Cristo, o pensamento de Cristo, as atitudes de Cristo, a Vida de Cristo! Assim, para um cristão, ordenar: “Sede santos” é o mesmo que dizer: “Agi segundo o Espírito Santo, deixai-vos por Ele guiar, por Ele inspirar, por Ele dirigir; Ele vos transfigurará em Cristo Jesus, de modo que direis: Já não sou eu quem vive, é Cristo que vive, que age, que fala em mim!

Aqui, façamos uma pausa para algumas perguntas:
Ser santo é ser inundado pelo Espírito de Cristo, recebido nos sacramentos... Tenho, realmente, deixado me conduzir pelo Espírito e segundo o Espírito do Senhor Jesus?
O cristão é “separado”, “consagrado” na verdade de Cristo – “Consagra-os na verdade; a Tua Palavra é a verdade” (Jo 17,17). Assim, seu modo de ser, de pensar e de agir é “separado” do que é mundano, do que é estranho a Cristo. Olhe sua vida: é assim que você tem vivido? Em outras palavras: você vive na esfera de Cristo ou na esfera do mundo? Atenção, que aqui não pode haver meio termo: “A Minha escolha os separou do mundo. Eles não são do mundo, como Eu não sou do mundo! Se fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu...” (Jo 15,19; 17,16)

Mas, há ainda uma outra mensagem na leitura de hoje: o Senhor liga, empenha a Sua santidade, ao respeito pelo fraco, o pobre, o desvalido! É impressionante:
“Não furteis, não vos enganeis, profanando o Meu Nome. Eu sou Santo! Não explores o teu próximo, não amaldiçoes o surdo, não ponhas tropeço diante do cego. Eu sou Santo! Não cometas injustiça, não sejas um maldizente entre o teu povo. Não calunies o teu próximo. Eu sou o Senhor! Não tenhas no coração ódio contra o teu próximo; amarás o teu próximo. Eu sou o Senhor!”
Compreende esta lógica, Irmão? Proclamar que o Senhor é Deus – o único Deus! -, proclamar e viver a Sua santidade, exige absolutamente que meu comportamento em relação aos irmãos seja o tempo todo sujeito ao olhar o Altíssimo!

É impossível adorar o Deus Santo sem honrar a imagem de Deus – imagem que resplandece na Face do Cristo imolado e ressuscitado (cf. 1Cor 4,4-6) – presente em cada ser humano, seja ele quem for, tenha ele feito o que fizer...
Assim, quando vier a raiva do irmão, recorda: o Senhor teu Deus é Santo! Respeita o irmão!
Quando o desejo de vingança, a maledicência, o rancor, a inveja, a ira quiserem corroer teu coração, envenenando-o contra teu irmão, recorda-te: o teu Deus é o Senhor! Ele é Santo! Olha Jesus, pensa em Jesus, repousa o teu coração em Jesus, aprende de Jesus: Nele e Dele irradia a santidade do Senhor Deus!
Reza, aproxima-te dos sacramentos, para receberes a santidade do Eterno, que veio a nós em Jesus nosso Senhor e Se nos dá no Seu Espírito Santo e Santificante!

Pense nestas coisas e, à luz delas, repense a sua vida... É Santo o Senhor nosso Deus!
Reze o Salmo 99/98. Aí, três vezes se proclama: “Ele é Santo! Ele é Santo! O Senhor nosso Deus é Santo!” (vv. 3.5.9)



Um comentário:

  1. Linda mensagem essa de Dom Henrique, por isso devemos fazer a vontade de Deus, perdoando, amando, fazendo caridade, rezando, vivendo os sacramentos, vivendo a palavra de Deus, etc. Que o bom Deus nos ajude a sermos bons cristãos.

    ResponderExcluir

Caro Irmão, serão aceitos comentários que não sejam ofensivos nem desrespeitosos.