sábado, 29 de março de 2014

Retiro quaresmal - O Poço que jorra a Vida eterna (8)

"27Nisso, os discípulos chegaram. Eles ficaram estupefatos ao verem Jesus falar com uma mulher; mas ninguém Lhe disse: “Que procuras?” ou “Por que lhe falas?” 28A mulher, então, largando o cântaro foi à cidade e disse ao povo: 29“Vinde ver um homem que me disse tudo o que eu fiz. Não seria Ele o Cristo?” 30Eles saíram da cidade e foram ter com Ele".

Comentando:

É compreensível o espanto dos discípulos: o Mestre sozinho com uma mulher pagã, falando com ela! Interessante o respeito cheio de temor dos apóstolos: ninguém ousa questionar Jesus...
Os apóstolos, apesar de lentos para compreenderem, sempre souberam que em Jesus há algo de misterioso, de grande, que os ultrapassa e escapa à simples compreensão humana! Se nós tivéssemos convivido com Jesus nosso Senhor, sentiríamos a mesma coisa e teríamos o mesmo temor reverencial.
Os Doze estavam tão próximos, mas ao mesmo tempo tão distantes do Santo de Deus! Aliás, quanto mais alguém é íntimo do Senhor, quanto mais O conhece na oração, mais o respeita. Jesus é o Rosto visível de Deus, é a Misericórdia do Pai entre nós, com semblante humano, mas é e será sempre o Santo, o Senhor! Só há um Mestre, só há um Guia, só há uma Verdade: Jesus, Nosso Senhor!
Ele não é nosso amiguinho, nosso parceiro, nosso coleguinha! Ele é o Senhor!

Voltemos à mulher samaritana: ela deixa o cântaro e se vai! Compreende o significado, meu Leitor? É o mesmo de Mc 10,46-52, do cego de Jericó: quando Jesus o chama, ele deixa pra lá a capa e corre para Jesus (cf. v. 50).
A Mulher não precisa mais daquele cântaro, não precisa mais saciar sua sede com as águas da religião antiga, simbolizada no poço de Jacó, nem com os tantos enganos da vida... Ela agora encontrou o verdadeiro Esposo, o verdadeiro Poço, que faz jorrar a verdadeira Água!

Esta Mulher é também imagem da Igreja vinda dos pagãos, a Igreja formada por aqueles (como nossos antepassados) que antes eram idólatras e, agora, banhados nas águas do Batismo, são a Esposa de Cristo. Por isso, comentando esta passagem, Santo Ambrósio chama a Igreja de "casta meretriz": era a comunidade dos pagãos, prostituída aos ídolos, mas agora, deixou-os e, nas águas batismais, foi purificada e tornada virgem esposa de Cristo. Antes, prostituta; agora, casta; antes meretriz, agora virgem!

Recentemente, interpretando de modo totalmente errado esta afirmação de Santo Ambrósio, alguns falam em Igreja santa e pecadora. Esta ideia é errada e totalmente contrária à fé cristã!
A Igreja é somente santa, indefectivelmente santa, santificada pelo Cristo, que a amou, entregou-Se por ela e a santificou com o banho do Espírito Santo.
Como também o cristão, uma vez batizado não é propriamente santo e pecador, mas somente santo, apesar de cometer ainda pecados. Uma coisa é afirmar que o cristão é santo e pecador (isto é heresia); outra, afirmar que o cristão é santo, santificado, mas ainda cai em pecado (e isto é o correto).
Então, não se deve nem se pode dizer que a Igreja é santa e pecadora. No máximo se pode dizer que ela é santa e traz em seu seio filhos que, apesar de santificados, cometem pecados porque são ainda marcados pela concupiscência.
Aquele que vive em pecado mortal já não pertence à Igreja, mesmo quando exteriormente parece estar nela. Esta é a nossa fé católica – sempre foi e será!

A mulher, tendo acreditado que Jesus é o Messias, corre para os outros samaritanos e o anuncia: "Vinde e vede!" É assim: quem foi encontrado por Jesus, quem experimentou Sua doçura, quem viu Sua verdade brilhar, não consegue não falar Dele, não anunciá-Lo, não transmitir a alegria que sente!
Isto é a evangelização, a missão: não a transmissão de ideias ou valores ou realidades abstratas, mas o anúncio de Alguém: de Jesus Messias, morto para o perdão de nossos pecados e ressuscitado para nossa justificação!

Surpreendentemente, os samaritanos saem da cidade, saem de sua vida, de seu culto, de suas tradições semipagãs, e correm para ver Jesus! São como a mulher Cananéia e o centurião: têm mais fé que os judeus, para os quais Jesus viera em primeiro lugar (cf. Mt 15,21-28; Lc 7,1-10). Que coisa linda: por Jesus, a Mulher deixou o cântaro e os samaritanos deixam a cidade! E nós, o que deixamos?

- Senhor Jesus, Tu és a nossa alegria,
Tu és o sentido da nossa vida,
Tu és Aquele que sacia nossa sede!

Perdoa-nos se somos frios em relação a Ti,
se, pela frieza do nosso coração, não somos Tuas testemunhas,
não contagiamos a outros com a alegria de sermos Teus!

Quando fores de verdade nossa alegria e entusiasmo,
tantos outros serão por nós tocados
e, sedentos de alegria, vida e paz,
virão após o nosso "Vinde e vede"
e Te encontrarão,

ó Senhor, Vida do mundo!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro Irmão, serão aceitos comentários que não sejam ofensivos nem desrespeitosos.