sábado, 8 de março de 2014

Retiro Quaresmal – Amar o Senhor, honrar Sua imagem

4o. Dia da Quaresma – IV dia de penitência


A leitura do Profeta Isaías, que a Igreja hoje proclama na Santa Missa (58,9b-14) é um apelo do Senhor Deus a que examinemos nossa atitude em relação ao Altíssimo e ao próximo, sobretudo àqueles que dependem de nós de algum modo.

Primeiro o próximo: “Se destruíres teus instrumentos de opressão, e deixares os hábitos autoritários e a linguagem maldosa; se acolheres de coração aberto o indigente e prestares todo socorro ao necessitado...”

Caro Irmão, nunca perca isto de vista: o teu Deus, em Quem tu crês, a Quem tu desejas servir, Ele imprimiu Sua imagem sagrada no ser humano! É um mistério tremendo este: cada pessoa traz gravada em si a imagem do próprio Deus: “Deus criou o homem à Sua imagem, à imagem de Deus Ele o criou, homem e mulher Ele os criou!” (Gn 1,27) Sendo assim, o homem, qualquer pessoa que seja, é, pelo simples fato de ser gente, de ser uma pessoa humana, alguém sagrado! Cada pessoa, por pior que aja, por pobre que seja, por desvalida que esteja, por hipossuficiente ou deficiente que apareça, é digna de veneração, de respeito, porque traz em si a marca do Infinito, do Eterno! Cada pessoa é ícone sagrado do Senhor Deus! Desonrá-la, desrespeitá-la, destratá-la é denegrir o próprio Criador que aí imprimiu Sua imagem: “Se alguém disser: ‘Amo a Deus’, mas odeia [isto é, não me incomodo, não ligo, deixo pra lá] o seu irmão, é um mentiroso: pois quem não ama seu irmão, a quem vê, a Deus, a quem não vê, não pode rá amar!” (1Jo 4,20). Compreende: como amar o Protótipo odiando, desprezando a imagem desse Protótipo? Honra-se verdadeiramente ao Senhor Deus honrando-se a Sua sagrada imagem, o homem! E atenção: “odiar”, no sentido bíblico, não é ter ódio, mas simplesmente não cuidar, não dar atenção, deixar em segundo plano... Que coisa exigente!

Quer ainda mais? Pois tem! Para um judeu, ancorado no antigo Testamento, basta dizer que o ser humano é imagem de Deus... Pera um cristão, não! O judeu sabe que o homem é imagem de Deus, mas não sabe bem o que significa ser imagem: o cristão sabe! Escute o que diz a Escritura, falando do Cristo morto e ressuscitada: “Ele é a Imagem do Deus invisível!” (Cl 1,15) Impressionante: Deus, sendo invisível, como poderia ter imagem? Pois tem: o Cristo morto e ressuscitado!
Isto significa que desde o princípio, desde o Gênesis, Deus nos criou, criou cada ser humano, tendo como modelo o Cristo morto e ressuscitado, que é Sua Imagem bendita. Assim, quando o Gênesis afirma que o Senhor Deus criou o homem à Sua imagem, quer dizer que desde o princípio Deus criou o homem pensando em Cristo Jesus, Deus que tudo vê, para Quem tudo é presente, modelou o homem em corpo e alma, tendo como protótipo, como forma, como modelo, o Cristo Jesus imolado e glorificado!

Cristo é nosso modelo,
Cristo é nossa forma,
Cristo é o Homem perfeito, primordial!
Ser humano de verdade é parecer mais com Cristo
no sentimento,
no pensamento,
no afeto,
nos gestos e atitudes,
no modo de viver!
Em corpo e alma somos imagem de Deus porque trazemos em nós, pelo simples fato de sermos humanos, a marca do Cristo Jesus!

Agora podemos compreender a verdade, a profundidade da afirmação do Salvador nosso: “Em verdade vos digo: cada vez que o fizestes a um desses Meus irmão mais pequeninos, a Mim o fizestes!” (Mt 25,40) Tremendo, não é?

Pense hoje na sua relação com os demais,
No seu modo de tratar os outros...
Pense no seu comportamento com os de casa,
Os de escola e de trabalho...
Pense nas suas atitudes em relação a quem depende de você,
A quem é mais frágil que você...

Reze, hoje, pelos irmãos que lhe dão trabalho, pelos irmãos em relação aos quais você não tem agido bem!
Peça pelos irmãos... Reveja suas atitudes!

Mas, onde encontrar forças para amar sempre, tratar sempre bem a irmãos que, às vezes, nem merecem nosso amor?

Eis a resposta: no amor de Deus!
Por isso mesmo, o Senhor, depois de exortar ao amor respeitoso para com os demais, exorta ao respeito para aquilo que é propriamente de Deus. No tempo de Isaías Profeta era a guarda do sábado que estava em jogo: levá-lo a sério era prova de respeito verdadeiro e efetivo para com o Senhor: “Se não puseres o pé fora de casa no sábado, nem tratares de negócios em Meu dia santo, se considerares o sábado o teu dia favorito, o dia glorioso, consagrado ao Senhor...” Em outras palavras: se deres, de fato, primazia ao teu Deus no concreto da tua vida...

Não nos esqueçamos, viu Irmão: o amor para com o Senhor, uma verdadeira e delicada sensibilidade para tudo quanto for Dele e a Ele disser respeito, abre-nos verdadeiramente para o outro, que é imagem do Invisível e, no caso do cristão, abre o coração para o que está próximo, que é vigário de Cristo, Ele, o Salvador, Imagem bendita do Deus invisível!

Pense hoje:
Você tem reservado tempo para o Senhor Deus nos tempos da sua vida?
Qual o tempo dado ao Senhor no arco dos seus domingos?
O judeu honra o Senhor guardando o shabbat [descanso]; o cristão honra o Senhor celebrando o Domingo com a participação no Sacrifício eucarístico, Páscoa do Salvador e Deus nosso, Jesus Cristo...

  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro Irmão, serão aceitos comentários que não sejam ofensivos nem desrespeitosos.