quarta-feira, 5 de março de 2014

Retiro Quaresmal - Introdução

A Igreja de Cristo é santa, só santa, indefectivelmente santa.
É santa e pecadora? Não! De modo algum! Por ser corpo de Cristo e templo do Espírito, o Santo que a tudo santifica, ela não pode, na sua essência ser santa e pecadora.
Mas, nos seus filhos, que já foram santificados desde o Batismo, mas também são chamados a serem santos, a viver realmente aquilo que são (cf. 1Cor 1,2), a nossa Mãe católica precisará sempre de contínua purificação.

Eis, para isto, o privilegiado tempo da Quaresma!
A Igreja, com seu coração e sua mente, deve retornar aos dias de Israel no deserto. Como o Antigo Povo de Deus, nós, membros do Povo de Deus da Nova Aliança, devemos nos colocar a caminho pelo deserto quaresmal e fazer, à luz da experiência de Israel, um profundo exame de consciência.

Na Quaresma, a Igreja deve converter-se novamente ao Senhor; também cada um de nós, membros desse Povo santo deve também trilhar o caminho da conversão.

Para ajudá-lo, caro Irmão, proporei a cada dia quaresmal uma meditação partindo da Palavra de Deus proclamada na Missa diária. Será mais um retiro quaresmal, como outros que já apresentei em anos passados.

Gostaria, logo de início, de propor-lhe um programa quaresmal. Eis: escolha logo hoje as observâncias que você, diante do Senhor, deseja praticar, utilizando as armas espirituais para o combate quaresmal; afinal, entrar num combate, em pleno deserto, sem armas é ser candidato certo à derrota mais vergonhosa! Então, o que você fará quanto a estas observâncias?

1. Oração – Escolha algo mais a acrescentar à sua oração diária. Pode ser, por exemplo, três salmos por dia, em ordem seguida, contínua. Assim, ao cabo da Quaresma, terá rezado todo o saltério! Que bênção! Pode ser a via-sacra às quartas e sextas...

2. Penitência – Deve ser uma penitência na comida. Tira-se algo do que se gosta durante toda a Quaresma, até o Sábado Santo. São quarenta dias de penitência na alimentação. Às sextas-feiras, elimina-se também a carne. Aos Domingos nunca se faz penitência: é Dia da Ressurreição, sempre! O tempo quaresmal já desconta quarenta dias sem os domingos... Além da penitência no alimento, é importante fazer alguma mortificação: tirar algo do tempo da televisão, das conversas fúteis, do tempo perdido diante do computador...

3. Esmola – É a caridade fraterna. Deve-se escolher um gesto que se faça durante toda a Quaresma em benefício dos irmãos. Pode ser uma esmola, uma ajuda, uma visita, a mudança de atitude e comportamento, a reconciliação alguém... Onde está o teu irmão?

4. Leitura da Palavra de Deus – Diariamente deve-se reservar um tempo para a meditação da Palavra de Deus. Podem-se usar os textos da Missa diária ou ler de modo seguido os capítulos do Êxodo ou do Deuteronômio.

5. O combate a um vício – Vício é um mau hábito que se aninha no nosso coração. Escolha um desses seus vícios e procure combatê-lo pacientemente, com a ajuda de Deus, neste tempo quaresmal.

E então, meu Irmão, membro ferido e caminhante do Povo de Deus? Vamos adiante, vamos caminhar no deserto quaresmal rumo à Terra Prometida da Páscoa do Senhor! Lembre-se: sem vivência quaresmal não há real e frutuosa celebração da Santa Páscoa!

Boa Quaresma! Bom retiro quaresmal, para você que for me acompanhar!





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro Irmão, serão aceitos comentários que não sejam ofensivos nem desrespeitosos.