sábado, 19 de abril de 2014

Retiro Quaresmal - A Paixão segundo Mateus (7)

Tríduo Pascal: Sábado Santo
XL Dia de Penitência
Mt 26,69-75

69Pedro estava sentado fora, no pátio. Uma criada aproximou-se dele e disse: “Tu também estavas com Jesus, o galileu!” 70Mas ele negou diante de todos: “Não sei de que estás falando”. 71E saiu para a entrada do pátio. Então, uma outra criada viu Pedro e disse aos que estavam ali: “Este também estava com Jesus, o nazareno”. 72Pedro negou outra vez, jurando: “Nem conheço esse homem!” 73Pouco depois, os que estavam ali aproximaram-se de Pedro e disseram: “É claro que tu também és um deles, pois o teu modo de falar te denuncia”. 74Pedro começou a praguejar e a jurar: “Não conheço esse homem!” E nesse instante, um galo cantou. 75Pedro se lembrou do que Jesus lhe tinha dito: “Antes que um galo cante, três vezes me negarás”. E saindo dali, chorou amargamente.

Comentando:

Eis o desenrolar da história do discípulo que jurou manter-se fiel ao Senhor até a morte... Confiou nas suas forças, contou apenas consigo mesmo... O Senhor lhe dissera: “Eu orei por ti!” Mas sua autoconfiança era grande demais para pensar nisto, para achar que necessitava desesperadamente da oração do Senhor! – “Eu orei por ti! Orarei sempre, Pedro! Por ti e por teus sucessores, para que tua fé não desfaleça! E quando caíres, convertido, confirma teus irmãos! Esta será tua missão na Igreja até a consumação dos séculos!”

Pedro acompanhara o Senhor de longe... Mas, quem O acompanha assim, certamente haverá de renegá-Lo na hora decisiva. O único modo de acompanhar realmente o Senhor nosso é de perto, tomando parte na Sua sorte, arriscando-se com Ele, dizendo como Tomé disse, num impulso que depois não se mostrou verdadeiro: “Vamos também nós, para morrermos com ele!” (Jo 11,16). Quem dera estas palavras, estes pensamentos, esta atitude estivessem na nossa vida!

E veio a pergunta, o perigo, quando menos Pedro esperava – como vem para mim e para você, quando menos esperamos: vem a ocasião de testemunhar que somos de Jesus, que estamos com Jesus, que temos parte com Ele, mesmo às custas da vida que levamos: “Tu também estavas com Jesus, o galileu! É claro que tu também és um deles, pois o teu modo de falar te denuncia!”
Ah, se puderem dizer isto de nós: que estamos com Ele, que o nosso modo de falar e de viver é como o Dele! Ah, se isto for verdade! Ah, se não negarmos nada disso, pensando em ser aceitos, em nos dar bem, em conservar certas amizades e certas posições! Pedro diz: “Não conheço esse homem!” É de dar calafrios! Mas, e eu, e você, meu Leitor amigo? Quantas vezes, se não com a boca, com a vida, com nosso procedimento, dissemos a mesma coisa? Quantas vezes nossa vida, nossas atitudes não têm nada a ver com esse Homem - o mais belo dentre os filhos dos homens –, com esse Salvador bendito!
 – Perdão, Senhor, por Pedro, pelos pedros, por mim, pelo mundo! Kyrie eleison!
Ao menos, Senhor, se caí como Pedro, dá-me a graça do arrependimento sincero e sentido, que me faça chorar amargamente, lágrimas de conversão, de decisão decidida de mudar de atitude e de rumo de vida!

Kyrie eleison! Christe eleison!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro Irmão, serão aceitos comentários que não sejam ofensivos nem desrespeitosos.