terça-feira, 31 de março de 2015

Retiro quaresmal - Terça-feira santa

Primeiro, concluamos o III Cântico do Servo Sofredor:

“Quem dentre vós teme o Senhor e ouve a voz do Seu Servo?
Aquele que caminhou nas trevas, sem nenhuma luz,
ponha a sua confiança no nome do Senhor,
tome como arrimo o seu Deus.
Mas, todos vós que acendeis um fogo,
Que vos munis de setas incendiárias,
Atirai-vos às chamas do vosso fogo
E às setas que acendestes.
Por Minha mão isto vos há de sobrevir:
Deitar-vos-ei no meio dos tormentos” (Is 50,10-11).


O Cântico termina com uma exortação que é também um desafio:
Quem crê realmente no Deus de Israel?
Quem é discípulo desse Servo feito trapo humano, homem de dores?
Pois bem: que mesmo nas trevas da vida, coloque, como o Servo, a sua confiança no Senhor, Nele tome arrimo, Nele alicerce a sua vida!

Que consolo, que exortação impressionante: venha o que vier na vida, estejamos na treva mais densa, se fixarmos os olhos nesse Servo bendito, se unirmos nosso coração ao Dele, não perderemos o rumo, não seremos tragados pelas ondas da morte e chegaremos nos braços do Deus Santo, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo!

Mas, quanto aos que, de modo autossuficiente, fazem pouco do Santo de Israel e do Seu Servo, serão consumidos como palha inútil no próprio fogo de sua descrença e rebeldia. Pense nisto, meu Irmão! Pense nisto! Tome arrimo no Senhor, siga o Servo, Jesus nosso Senhor, e nada o derrubará, nada irá tirar o sentido da sua existência e prumo da sua vida!

Nunca esqueça, Irmão: haverá um juízo de Deus! Não são a mesma coisa ser amigo de Cristo ou Dele apartar-se; não são a mesma coisa ser por Cristo e ser contra Cristo! um dia haverá o Juízo divino... Para Judas, a palavra do Senhor foi clara: "Melhor seria não ter nascido!"

Os que se unem ao Servo na Sua morte e ressurreição, terão vida; os que combatem o Servo, serão destruídos como palha seca...

Pense nisto... Pense na sua vida...

Reze o Salmo 140/141

Agora, iniciemos, ainda neste Retiro, o Quarto Cântico do Servo. É o mais impressionante de todos!

“Eis que Meu Servo prosperará,
Ele Se elevará, será exaltado, será posto nas alturas” (Is 52,13).

Já foi descrito como a Paixão de Cristo segundo Isaías. Novamente, como no primeiro Cântico, é o Senhor Deus, o Santo e Israel quem fala... Fala garantindo o triunfo e a grandeza do Servo: Ele prosperará, elevar-Se-á, será exaltado! Mas, é surpreendente o caminho a ser percorrido para chegar a esta glória. É o tema deste poema...

“Exatamente como multidões ficaram pasmadas à vista Dele
- pois Ele não tinha mais figura humana
e Sua aparência não era mais a de homem –
assim, agora nações numerosas ficarão estupefatas a Seu respeito,
reis permanecerão silenciosos,
ao verem coisas que não lhes havia sido contadas
e ao tomarem consciência de coisas que não tinham ouvido” (Is 52,14-15).

Ainda é o Senhor Deus Quem fala, e Se refere a uma mudança radical, inesperada, impressionante no destino do Servo: fora visto antes como um homem desfigurado; tão desfigurado de causar admiração e espanto
Agora, Sua glória será tanta, que reis e grandes do mundo haverão de calar-se, admirados e temerosos, diante Dele! Só o Senhor pode mudar assim, de modo tão radical e permanente, a existência de alguém...

“Quem creu naquilo que ouvimos,
e a quem se revelou o braço do Senhor?
Ele cresceu diante Dele como um renovo,
como raiz em terra árida;
não tinha beleza nem formosura capaz de nos deleitar.
Era desprezado e abandonado pelos homens,
homem sujeito a dor, familiarizado com o sofrimento,
como pessoa de quem todos escondem o rosto;
desprezado, não fazíamos caso Dele” (Is 53,1-3).


Quem fala agora? Já não é mais o Senhor Deus. Falam agora aqueles que contemplaram a miséria, a dor, a ignomínia do Servo: descrevem todo o Seu sofrimento e revelam-lhe o sentido de Sua paixão e morte! Aí, por obra do Espírito de Cristo, está explicado muito do sentido da paixão e morte do nosso Salvador. Eis os pontos mais salientes deste trecho acima:

(1) Diante de Deus Ele cresceu, mas como um pequeno rebento, raquítico, pobre.

(2) Humanamente, não era grande coisa, chegando mesmo a tornar-Se desprezível e repugnante...

Impressiona como o Senhor Deus Se revela em alguém nesta situação! Como os caminhos de Deus não são os nossos! Para compreendê-los é preciso converter-se: Quem acreditou no que ouvimos? A quem foi revelado o braço do Senhor, que age de modo tão surpreendente?

Se não nos convertermos à lógica de Deus, jamais poderemos crer Nele de verdade ou compreender algo dos Seus caminhos!

Reze o Salmo 21/22

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro Irmão, serão aceitos comentários que não sejam ofensivos nem desrespeitosos.