segunda-feira, 23 de março de 2015

Retiro quaresmal - segunda-feira da V semana

Ainda estamos meditando sobre o I Cântico do Servo Sofredor:

"Não vacilará nem desacorçoará
até que estabeleça o direito na terra;
e as ilhas aguardem Seu ensinamento” (Is 42,4).

Se o Servo é humilde e manso, mas que ninguém se iluda: Ele não desiste! 
Confiando no Senhor Deus, persistirá na Sua missão de levar o direito de Deus, a adoração, o serviço e a verdade amorosa do único Deus até os confina da terra. As ilhas, no Antigo Testamento, significam as nações mais distantes, os extremos da terra.

É impressionante como já o Antigo Testamento previa sua própria superação. Quando viesse o Servo-Messias, o Deus de Israel seria o Deus de toda a humanidade, graças a obra do Ungido, Daquele sobre quem o Senhor Deus derramara o Seu Espírito!
Vá observando, caro Amigo, como tudo isto se cumpriu de modo impressionante no Senhor nosso Jesus Cristo!

Continuemos ainda escutando a Escritura:

"Assim diz Deus, o Senhor,
que criou os céus e os estendeu,
que firmou a terra e o que ela produz,
que deu o alento aos que a povoam
e o sopro de vida aos que se movem sobre ela:
‘Eu, o Senhor, Te chamei para o serviço da justiça,
Tomei-te pela mão e Te modelei,
Eu Te constitui como aliança do povo,
como luz das nações,
a fim de abrires os olhos aos cegos,
a fim de soltares do cárcere os presos,
e da prisão os que habitam nas trevas!’” (Is 42,6-7).

O Senhor Deus agora, de modo soleníssimo, faz uma declaração ao Seu Servo. Observe: Deus recorda que Ele é o Altíssimo, o Senhor de tudo, Senhor de Israel, mas ainda mais: Senhor de toda a terra, de todo o ser vivente!
O Servo não terá uma missão simplesmente circunscrita a Israel, o povo da antiga Aliança. Sua missão atingirá todos os seres e toda a humanidade, que vive porque o Senhor Deus a todos criou e a todos dá o sopro de vida.

Que diz o Senhor Deus ao Seu Servo?

(1) “Eu Te modelei!” Que mistério! O Filho eterno, Deus igual ao Pai, foi realmente criado na Sua humanidade igual à nossa! Sendo Deus, fez-Se homem; sendo Senhor, fez-Se servo; sendo rico, fez-Se pobre; sendo eterno, fez-Se criança; sendo infinito, fez-Se mortal limitado! Estas palavras impressionantes encontram eco nas palavras do próprio Cristo Jesus ao entrar no mundo: “Tu não quiseste sacrifícios e oferenda. Tu, porém, formaste-Me um corpo. Holocausto e sacrifícios pelo pecado não foram do Teu agrado. Por isso Eu digo: Eis-Me aqui – no rolo do Livro está escrito a Meu respeito – Eu vim, ó Deus, para fazer Tua vontade!” (Hb 10,5-7). O Filho toma a forma de Servo e vem para obedecer, para humanamente entregar-Se de modo total ao Pai em nosso favor. Vem corrigir com o seu “sim” o “não” que Adão (e Adão somos todos nós!) disse a Deus, perdendo o rumo de sua existência e o caminho da salvação.

(2) “Eu Te chamei para o serviço da justiça!” Não se trata aqui de qualquer justiça. A justiça, nas Escrituras Sagradas, é, sobretudo, e radicalmente a obediência ao Senhor Deus. O justo é o obediente ao Senhor, o que cumpre Sua santa vontade. É esta a justiça que é raiz de toda outra justiça. A justiça humana que não brota da justiça (retidão) para com Deus é capenga, tem pernas curtas! O Servo vem para levar a vontade de Deus a toda a humanidade e chamar todos à obediência da fé!

(3) “Eu Te constitui como aliança do povo, como luz das nações”. Impressionante! O Servo primeiro vem para o povo de Israel. A nova e eterna Aliança que Ele traz é primeiro ofertada aos judeus (cf. Mt 10,5-6). Se o povo de Israel desejar realmente fazer a vontade do Deus de Abraão, de Isaac e de Jacó, deve acolher Jesus como Messias e entrar na nova Aliança no Seu sangue. Mas, Jesus veio também para todos os povos: “Eu sou a luz do mundo!” Como profetizou o Velho Simeão: “Luz para iluminar as nações e glória de Teu povo, Israel” (Lc 2,32).

(4) “A fim de abrires os olhos aos cegos, a fim de soltares do cárcere os presos, e da prisão os que habitam nas trevas”. Eis aqui: o Servo vem para salvar, para libertar uma humanidade presa em tantos cárceres, cega de tantas cegueiras, privada de luz, porque confia em suas próprias trevas. Ainda hoje é esta a missão do Senhor. Aquele que Nele crê e o acolhe, aquele que cumprindo Seu desejo, recebe o Batismo e ingressa na Sua santa Igreja, aquele que comunga Seu Corpo e Sangue na Eucaristia e vive na Sua vontade, livra-se das cadeias da morte, do poder das trevas e vive na luz!

Reze o Salmo 71/72, pensando no Cristo humilhado e glorioso: é Ele o Rei verdadeiro nosso e do mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro Irmão, serão aceitos comentários que não sejam ofensivos nem desrespeitosos.