sexta-feira, 13 de março de 2015

Retiro quaresmal - sábado da III semana

"Assim fala o Senhor: “Dei esta ordem ao povo dizendo: Ouvi a Minha voz, assim serei o vosso Deus, e vós sereis o Meu povo; e segui adiante por todo o caminho que Eu vos indicar para serdes felizes.
Mas eles não ouviram e não prestaram atenção; ao contrário, seguindo as más inclinações do coração, andaram para trás e não para a frente, desde o dia em que seus pais saíram do Egito até o dia de hoje. A todos enviei Meus servos, os profetas, e enviei-os cada dia, começando bem cedo; mas não ouviram e não prestaram atenção; ao contrário, obstinaram-se no erro, procedendo ainda pior que seus pais. Se falares todas essas coisas, eles não te escutarão, e, se os chamares, não te darão resposta. Dirás, então: Esta é a nação que não escutou a voz do Senhor, seu Deus, e não aceitou correção. Sua fé morreu, foi arrancada de sua boca” (Jr 7,23-28).
Continuemos hoje a meditação de ontem.
Vimos como o Senhor continuamente se dirigiu a Israel e dirige-Se a nós, Sua Igreja, seu novo Israel... Dirige-Se a cada um de nós, membros dessa Igreja...
Ainda hoje Ele nos envia profetas: aqueles que, destintos modos e em tantas ocasiões nos falam, nos apelam em Nome do Senhor.
É o caso de pensar neste sábado: o que o Senhor me tem dito por estes tempos? Que profeta ou quais profetas me tem enviado? Que mensagem me tem dirigido por palavras ou acontecimentos na minha vida? Tenho sabido discernir a voz do Senhor Deus? Tenho escutado? Tenho sido dócil? Pense com cuidado e espírito de fé! Ah, se crêssemos de verdade! Ah, se tivéssemos um coração capaz de escutar, de perceber! Não escutarão, não darão resposta... Eis o comportamento de Israel, eis a queixa do Eterno! Isto, será que não vale também para nós, para mim, para você?
Particularmente triste, nesta passagem, é a conclusão dessa atitude de fechamento: "Sua fé morreu, foi arrancada de sua boca!"
A fé, se não é alimentada, esfria, definha e morre de inanição... Atenção, Irmão, que a fé deve ser sempre alimentada
com a escuta da Palavra de Deus nas Escrituras,
com a escuta da Palavra de Deus na exposição com autoridade que a Igreja faz da divina Revelação através do seu ensinamento dogmático,
com o esforço sincero, fadigoso, humilde e constante de viver verdadeiramente os preceitos do Senhor tais quais a santa Igreja ensinou no seu constante e perene magistério,
com a frequente e piedosa e humilde participação na celebração dos santos mistérios,  isto é, dos sacramentos, que são potentes e definitivos gestos salvíficos de Cristo,
com a oração constante, humilde, perseverante e piedosa, mesmo nos momentos de secura, dispersão, escuridão ou confusão interior, suportando pacientemente os tremendos silêncios de Deus,
com a procura de servir o Senhor no serviço multiforme aos irmãos.
"Sua fé morreu" e, porque a fé morreu, "foi arrancada deverá boca", isto é, ainda que professe a fé, ainda que a proclame, que a pregue, é uma palavra vazia, morta, que não mais é cheia do Espírito vivificante.
Pergunte-se:
Sou realmente uma pessoa de fé? Atenção: fé no Senhor e na Sua Palavra, total confiança e entrega a Ele e Nele!
Procuro alimentar e robustecer minha fé? Que recursos utilizo para fortalecê-la?
Tenho colocado minha fé em risco com conversas, leituras pensamentos ou vídeos inconvenientes?

Reze o Salmo 115/116

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro Irmão, serão aceitos comentários que não sejam ofensivos nem desrespeitosos.